Talvez nem todos estejam por dentro desta novidade, mas os carros autônomos não são mais previsões de filmes futurísticos, e, sim uma realidade. A direção autônoma está cada vez mais acessível a todos, com grandes fabricantes e gigantes da tecnologia como o Google que estão aumentando seus investimentos em veículos que dispensam motoristas.

A direção autônoma passa nos dias atuais principalmente pelos caminhões agrícolas e caminhões de transporte de cargas, mas também já chegam nas ferrovias, com as locomotivas sem condutores. Em países muito desenvolvidos a falta de motoristas é um problema crescente e por conta disto a direção autônoma ganha território e cresce rapidamente.

Outro fator importante a ser destacado sobre os veículos é que eles contam com tecnologias de última geração capazes de diminuir o número de acidentes nas estradas e também economizar combustível.

Mercedes-Benz

A Mercedes-Benz e a Volvo saem na frente no mercado de caminhões autônomos. O caminhão denominado de Actros ou Future Truck é o primeiro caminhão autônomo da Mercedes a entrar em produção em série. Eles realizaram testes ainda em outubro de 2015 na rodovia A8, em Denkendorf, na Alemanha. Este caminhão autônomo também conta com um sistema chamado Highway Pilot System, o qual é capaz de guiar o veículo em vias públicas, identificando faixas, pedestres, semáforos e outros veículos.

Leis de Segurança

As leis na área de segurança no trânsito recebem agora mais atenção do que nunca, pois é a primeira vez que veículos andam sem motoristas, por isso a legislação de cada país terá que se adequar aos veículos sem condutores. No caso dos trens e locomotivas a legislação já é um pouco mais tranqüila, levando em conta que eles estão fixos nos trilhos. Atualmente cerca de 48 sistemas de metrô são autônomos. A mineradora Rio tinto inaugurou em 2016 seu primeiro sistema de serviços de viagens sem maquinistas em uma ferrovia na Austrália.

Economia

A eficiência de veículos autônomos é um dos fatores mais importantes que agradam as empresas, já que estes veículos conseguem rodar por um tempo indeterminado e muito mais prolongado do que um motorista humano. Fazendo o cálculo este fator pode reduzir em torno de 33% o custo das viagens, 10% o consumo de combustível e diminuir a taxa de acidentes em até 70%, o que diminuiria taxas de seguros para veículos.

Outro fator de alívio para os motoristas seria a diminuição do congestionamentos nas estradas, acabar com os atrasos, roubos e perdas de produtos durante a viagem. Estimativas futuros calculam que a implementação da maioria de veículos autônomos nas estradas aumentariam a capacidade das rodovias para mais de 200%.

 

Principais desafios e dificuldades

 

A implementação de veículos autônomos requer o desenvolvimento de um plano de tecnologia e liberações legais no transito, sendo estas diferentes para cada país. A criação de faixas exclusivas para os caminhões e ônibus autônomos também é um fator que muitas vezes entra em conflito e acaba sendo um empecilho para a política e economia da cidade ou país.

No curto prazo, este cenário ainda é improvável, principalmente por conta do alto custo que estas tecnologias demandam

 

No Brasil

Recentemente a Volvo foi à pioneira em caminhões autônomos, sendo a primeira empresa a implantar esta tecnologia no Brasil. A empresa entregou sete unidades do VM autônomo a Usaçucar, em Maringá, no Paraná. Mesmo o Brasil tendo deficiências logísticas, é muito difícil imaginar uma infraestrutura preparada para estes veículos num curto prazo.

 

Siga nossas rede sociais clicando nos links abaixo:

Facebook: grupocelestebr

Instagram: @celestegrupo